Papa aprova oficialmente mudança na oração do Pai Nosso

Foto: com edição / Internet
Em Mateus 6:9 a 13 nós encontramos a oração modelo deixada por Jesus aos filhos de Deus, confira a oração na integra extraído da Bíblia.

v9 Portanto, orai vós deste modo: Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome;   
v10 venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu;   
v11 o pão nosso de cada dia nos dá hoje;   
v12 e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós também temos perdoado aos nossos devedores;   
v13 e não nos deixes entrar em tentação; mas livra-nos do mal. [Porque teu é o reino e o poder, e a glória, para sempre, Amém.]

A oração do Pai Nosso irá sofrer uma alteração na tradição católica após o papa Francisco autorizar uma mudança que a deixará mais próxima da versão usada pela tradição protestante.

Até agora, a oração do Pai Nosso na tradição da Igreja Católica dizia, em um trecho, “e não nos levará à tentação”. Com a mudança, o texto da oração do Senhor passará a ser “não nos deixe cair em tentação”, se assemelhando com o que é praticado no protestantismo.
A mudança substitui o trecho “não nos deixes cair em tentação” por “não caiamos em tentação”.
Papa Francisco aprovou oficialmente uma, mudança na oração do Pai Nosso, descrita em Mateus 6:13, que substitui o trecho “não nos deixes cair em tentação” por “não caiamos em tentação”.

Segundo informações do site uCatholic, o Vaticano promulgou a mudança no dia 22 de maio, durante a Assembleia Geral da Conferência Episcopal da Itália.

O Papa acredita que a nova versão é melhor porque a primeira tradução implica que Deus leve as pessoas à tentação, uma ação que é contra a sua natureza como um Deus bom e santo. 

“Um pai não faz isso, um pai ajuda você a se levantar imediatamente”, disse Francisco sobre o versículo em questão. “É Satanás quem nos leva à tentação, esse é o departamento dele”.

Durante anos, os cristãos lutaram com o significado real por trás de “não nos deixes”. Depois de mais de 16 anos de estudo, alguns pesquisadores bíblicos dizem que uma melhor tradução da escritura seria: “Não nos abandones quando formos tentados”.

O falecido teólogo Charles Spurgeon explicou durante um sermão em 1863 que a palavra “tentação” em Mateus 6:13, na verdade, contém dois significados: tanto a tentação do pecado como das provações e tribulações.

Embora Spurgeon concorde que Deus não nos tenta, ele argumenta que Deus nos envia provações e situações em que a tentação para com o pecado está sempre presente.

“Deus não tenta homem algum”, disse Spurgeon. “Para Deus, tentar no sentido de atrair ao pecado [é] inconsistente com a Sua natureza, e totalmente contrário ao Seu conhecido caráter. Mas para Deus, nos conduzir para os conflitos com o mal que chamamos de tentações, não é apenas possível, mas é habitual”.

A Igreja Católica está usando a Vulgata — a tradução para o latim da Bíblia — para tentar determinar o melhor fraseado. Mas Spurgeon argumentou em seu sermão que ele acredita que a versão original grega, que diz “não nos deixes”, é a melhor.

O Dr. Corne Bekker, da Escola de Divindade da Universidade Regent, em Virgínia (EUA), concorda com a análise de Spurgeon. Ele disse à CBN News que acredita que a grande questão é: “Qual é o propósito da tentação?”

“Deus permite que sejamos tentados, e eu acho que duas coisas acontecem: nós nos conhecemos um pouco melhor e, é claro, 
 
Isaías 40:8 Seca-se a erva, e murcha a flor; mas a palavra de nosso Deus subsiste eternamente”.

Daniel 7:25 “Proferirá palavras contra o Altíssimo, e consumirá os santos do Altíssimo; cuidará em mudar os tempos e a lei; os santos lhe serão entregues na mão por um tempo, e tempos, e metade de um tempo”.

Mateus 24:35 “Passará o céu e a terra, mas as minhas palavras jamais passarão”. Conf. Marcos 13:31; Lucas 21:33 

Opinião:  

O site Ucathollic informou que a substituição foi aprovada no último dia 22 em uma assembleia geral da conferência dos bispos da Itália. 

A ideia de trocar as palavras no versículo é para que ninguém tenha  a ideia de que Deus pode induzir ninguém a pecar. Isto seria uma ação que não corresponde a natureza de Deus.

“Um pai não faz isso, um pai ajuda você a se levantar imediatamente”, afirmou Francisco falando do trecho bíblico “É Satanás quem nos leva à tentação, esse é o departamento dele”.

A mudança colocaria fim a questão que persiste há muitos séculos onde os cristãos quiseram entender o real sentido do versículo. A sugestão veio de pesquisadores e teólogos que a tradução mais coerente seria “não nos abandone quando formos tentados”.

Segundo Spurgeon a palavra tentação em Mateus 6 teria dois significados. O da tentação de pecar e a tenção de ser provado e passar por tribulação. Ele afirmava que Deus não tenta a ninguém ,mas que o pecado está sempre presente, bem como Deus pode enviar provações.

“Deus não tenta homem algum”, disse Spurgeon. “Para Deus, tentar no sentido de atrair ao pecado [é] inconsistente com a Sua natureza, e totalmente contrário ao Seu conhecido caráter. Mas para Deus, nos conduzir para os conflitos com o mal que chamamos de tentações, não é apenas possível, mas é habitual”.

Bom a comunidade católica terá de se habituar a mudança que vem como solução após séculos. Enquanto isso os protestantes continuarão com a mesma oração que conheceram.

Opinião: 

De acordo com o site christianpost.com, “o Papa Francisco aprovou oficialmente uma mudança na oração do Senhor em Mateus 6:13, que substitui “não nos deixes cair em tentação” por “não caiamos em tentação.”

É algo que o papa tem tentado desde 2017, quando disse que Mateus 6:13 é uma tradução pobre, porque descreve um Deus que leva as pessoas à tentação.

“Deus que nos induz em tentação não é uma boa tradução. Os franceses também mudaram o texto com uma tradução que diz ‘não me deixes cair na tentação’ [em português, diz-se “não nos deixeis cair em tentação”]. Sou eu quem caio, não é ele quem me joga na tentação para depois ver como eu caí. Um pai não faz isso, um pai ajuda logo a se levantar”.

A oração do Senhor em Mateus 6, de acordo com a versão mais usada da Bíblia, diz assim:

Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu; O pão nosso de cada dia dá-nos hoje; E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores; Não nos deixes cair em tentação; mas livra-nos do mal…

O Papa Francisco está mudando a oração do “Pai Nosso” para o seguinte (mudanças em negrito ):

Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu; O pão nosso de cada dia dá-nos hoje; E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores; Não caiamos em tentação; mas livra-nos do mal…

Tradução de Joseph Smith

Quase duzentos anos atrás, Joseph Smith (em seus vinte e tantos anos) fez uma mudança semelhante.  Sua interpretação foi:

Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu; O pão nosso de cada dia dá-nos hoje; E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores; E não nos deixes ser levados à tentação, mas livra-nos do mal.

O texto entre as duas versões não é exato, mas o significado é: Satanás é quem tenta as pessoas, não Deus.

Joseph Smith corrigiu várias escrituras em situações semelhantes. Por exemplo, em Êxodo, diz-se que o Senhor endurece o coração de Faraó. Joseph também ajustou a linguagem ali para refletir um Deus que não endurece os corações. Ele corrigiu o mesmo em Êxodo 4:21; 7:3 e 13; 9:12; 10:1, 20 e 27; 11:10; 14:4, 8 e 17 .

(Da Redação) 
Proxima
Esta é a mais nova página atual
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário